Concebido e interpretado por Rita Vilhena com composição original de Diogo Alvim. É um solo que reflete as questões do feminino, o estereótipo da mulher e do corpo domesticado. Uma peça com visão não binária e interseccional da realidade, que pretende exagerar a diferença entre dentro e fora, por cima e por baixo, masculino e feminino, com e contra, com o propósito de questionar uma aparência de ordem.
Conceito/ Criação/ Performance Rita Vilhena
Música Diogo Alvim, "Run the World (Girls)" de Beyoncé
Desenho de Luz Nuno Patinho e Rita Vilhena
Cenografia Rita Vilhena
Produção Partícula Extravagante e Baila Louca
Apoios Câmara Municipal de Setúbal
Residências Estúdios Victor Córdon, DevirCAPa, Teatro Aveirense e Nome Próprio no âmbito do Open Call do Estágio de Dança de Aveiro 2019.
© José Costa
© José Costa
menu | >>